Eficácia Coletiva

Na década de 1970, Albert Bandura, psicólogo da Universidade de Stanford, descobriu um padrão interessante na dinâmica de trabalho em grupo. 
Ele observou que a confiança de um grupo em suas habilidades parecia estar associada a um maior sucesso.
Em outras palavras, a confiança que uma pessoa coloca em sua equipe afeta o desempenho geral da equipe.
Bandura chamou esse padrão interessante de comportamento humano de "eficácia coletiva", que ele definiu como
"
a crença compartilhada de um grupo em sua capacidade conjunta de organizar e executar os cursos de ação necessários para produzir determinados níveis de realização".
Na virada do século, a eficácia coletiva do professor foi operacionalizada e instrumentos foram desenvolvidos para medi-la.
Modelos de eficácia coletiva nas escolas foram testados e refinados, com pesquisadores descobrindo que, conforme o sucesso e o suporte
de fortalecer a confiança dos professores em suas equipes, o desempenho dos alunos também aumentava.
A meta-análise de Rachel Eells (2011) de estudos relacionados à eficácia coletiva e desempenho na educação 
demonstrou que as crenças que os professores têm sobre a capacidade da escola como um todo estão 
"forte e positivamente associadas ao desempenho dos alunos em disciplinas acadêmicas e em múltiplas áreas" 
Com base na pesquisa de Eells, John Hattie posicionou a eficácia coletiva no topo da lista de fatores que influenciam o desempenho dos alunos 
 De acordo com sua pesquisa, baseada em uma síntese de mais de 1.500 meta-análises, a eficácia coletiva do professor é três vezes mais poderosa no desempenho do aluno do que o status socioeconômico 
(efeito 1,57 x 0,52 respectivamente) e mais do que o triplo do efeito do ambiente doméstico  (efeito 0,52) e do envolvimento dos pais ( efeito 0,49).
Também, a eficácia coletiva é três vezes mais do que a motivação, 
concentração, persistência e engajamento do aluno.

Fatores que influenciam o Desempenho do Aluno

Tamanho do efeito

Eficácia Coletiva dos professores da Escola

Tamanho do Efeito 1,57%

Status socioeconômico

Tamanho do Efeito o,52

Ambiente doméstico

Tamanho do Efeito 0,52

Envolvimento dos Pais

Tamanho do Efeito 0,49

Motivação

Tamanho do Efeito 0,48

Concentração / Persistência / Engajamento

Tamanho do Efeito 0,48

Nota:
Os tamanhos dos efeitos são baseados no d de Cohen.
Essa média resume o tamanho médio do efeito é d = 0,40  o efeito típico de algumas influências possíveis na educação.

 

Fonte: John Hattie

Crenças Culturais

Uma vez que a eficácia coletiva influencia a maneira como os educadores se sentem, pensam, se motivam e se comportam, 
ela contribui muito para o teor da cultura escolar. 
Quando os educadores compartilham um senso de eficácia coletiva, as culturas escolares tendem a ser caracterizadas por crenças que refletem altas expectativas para o sucesso dos alunos. 
Muitas vezes surge uma linguagem compartilhada que representa o foco na aprendizagem do aluno, em oposição à conformidade com as instruções. 
Eles também acreditam que o sucesso e o fracasso na aprendizagem dos alunos têm mais a ver com o que eles fizeram ou não fizeram, e valorizam a solução de problemas de prática juntos.
Quando a eficácia está presente em uma cultura escolar, os esforços dos educadores são intensificados - especialmente quando eles se deparam com desafios difíceis. 
Como a esperança de sucesso é elevada, professores e líderes abordam seu trabalho com persistência intensificada e forte determinação.
Além disso, a eficácia coletiva influencia o desempenho do aluno indiretamente por meio de padrões mais produtivos de comportamento de ensino. Claramente, a eficácia coletiva tem um grande efeito dominó.

Reiniciando a Narrativa

A confiança dos membros da equipe nas habilidades uns dos outros e sua crença no impacto do trabalho da equipe são elementos-chave que diferenciam as equipes escolares de sucesso.
O sucesso está na natureza essencial da colaboração e na força de acreditar que, juntos, administradores, professores e alunos podem realizar grandes coisas. Este é o poder da eficácia coletiva.

O Papel da Evidência

Então, como os líderes escolares constroem eficácia coletiva?
A principal entrada é a evidência do impacto. 
Quando os esforços de melhoria educacional resultam em melhores resultados dos alunos, 
validados por meio de fontes de dados de aprendizagem dos alunos, a eficácia coletiva dos educadores é fortalecida.
A evidência do impacto coletivo, por sua vez, reforça comportamentos, sentimentos, pensamentos e motivações coletivos proativos. 
Bandura referiu-se a isso como "causalidade recíproca" observando que a eficácia coletiva é um recurso social que não se esgota com seu uso; ele é renovado.
É essencial, portanto, ajudar os educadores a fazer a ligação entre suas ações coletivas e os resultados dos alunos.
Os líderes  ambientes instrucionais não ameaçadores baseados em evidências. Ao promover uma cultura de colaboração focada em "conheçam o vosso impacto coletivo",
os líderes têm o potencial de apoiar a melhoria escolar de maneira a influenciar positivamente as crenças de eficácia coletiva dos professores e, assim, promover conquistas pelos alunos.

Referências

Bandura, A. (1977). Self-efficacy: Toward a unifying theory of behavioral change. Psychological Review84(2), 191–215.
Bandura, A. (1993). Perceived self-efficacy in cognitive development and functioning. Educational Psychologist28(2), 117–148.
Bandura, A. (1997). Self-efficacy: The exercise of control. New York: W.H. Freeman and Company.
Eells, R. (2011). Meta-analysis of the relationship between collective efficacy and student achievement. Unpublished doctoral dissertation. Loyola University of Chicago.
Hattie, J. (2016, July). Mindframes and Maximizers. 3rd Annual Visible Learning Conference held in Washington, DC.
Hattie, J. A. C., & Zierer, K. (2018). Ten Mindframes for Visible Learning: Teaching for Success. Routledge.